A construção social da memória científica

reflexões e atravessamentos

Autores

  • Daniele Achilles Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Palavras-chave:

memória, ciência, construção social, biblioteca universitária

Resumo

Apresenta questionamentos e perspectivas teóricas para discutir a construção social da memória científica a partir da formação de coleções em bibliotecas universitárias. Trata-se de um texto mais fluido porque é resultado da palestra ministrada no I Encontro Baiano de Bibliotecas Universitárias Públicas. Nesse sentido, trabalha a ótica de Marc Auge a partir dos três paradoxos do tempo; a noção de memória enquanto experiência enfatizada por Walter Benjamim. Por meio de uma pesquisa social, qualitativa e exploratória aponta reflexões e atravessamentos entre a ciência, o tempo e memória para indicar possibilidades de associar a memória à experiência no processo de formação de coleções, parte da construção social da memória científica em acervos de bibliotecas universitárias.

Biografia do Autor

Daniele Achilles, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Doutora e Mestra em Memória Social (PPGMS/UNIRIO). Docente do Departamento de Biblioteconomia (DEPB), do Mestrado Profissional em Biblioteconomia (PPGB) e do Programa de Pós-Graduação em Memória Social (PPGMS) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Líder do Grupo de Pesquisa Bibliotecas, Memória e Resistência, certificado pelo CNPq. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-3648-7282.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo da história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

AUGE, Marc. Para onde foi o futuro? Tradução Eloisa Araújo Ribeiro. Campinas, SP: Papirus, 2012.

ASSMANN, Aleida. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Tradução Paulo Soethe. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2011.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. Prefácio Jeanne Marie Gagnebin. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 197-221. (Obras Escolhidas, v.1).

BENJAMIN, Walter. Escavando e recordando. In: BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. Trad. Rubens R. T. Filho e José Carlos M. Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 239- 240. (Obras Escolhidas, v.2).

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 8. ed. rev. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. Ver. Téc. Márcio Seligmann-Silva. Prefácio Jeanne Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 2012. (Obras Escolhidas, v.1).

BENJAMIN, Walter. Rua de mão única: infância berlinense: 1900. Ed. e Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. (Filô/Benjamin).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, vol. 1. Tradução Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995. (Coleção TRANS).

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. Tradução Paulo Neves. 3. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007. (Coleção Tópicos).

ERLL, Astrid. Memoria colectiva y culturas Del recuerdo. Bogotá: Universidad de los Andes, Facultad de CienciasSociales, Departamento de Lenguas y Cultura, Centro de EstudiosSocioculturales e Internacionales: EdicionesUnianes, 2012.

FARIA, Maria Isabel; PERICÃO, Maria da Graça. Dicionário do livro: da escrita ao livro eletrônico. São Paulo: Ed. USP, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. 30. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 2013. (Estudos, 142).

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Limiar, aura e rememoração: ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Ed. 34, 2014.

GONDAR, Jô; DODEBEI, Vera (Orgs.). O que é memória social? Rio de Janeiro: Contra Capa livraria. PPGMS/UNIRIO, 2005.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Ed. Centauro, 2004.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos e mídia. Trad. Sergio Alcides. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

KUHN, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1994.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: UNESP, 2000.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 1997.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Unicamp, 1990.

LE GOFF, Jacques. A história deve ser dividida em pedaços? Tradução NíciaAdanBonatti. São Paulo: Ed. Unesp, 2015.

MERTON, Robert King. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo: Associação Filosófica ScientiaeStudia/ Editora 34, 2013. 304 p.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História – Revista do Programa de Estudos de Pós-graduados em História do Departamento de História, São Paulo, n. 10, 1993. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/12101 . Acesso em: 01 mar. 2014.

QUINTANA, Mario. Baú de espantos. Organização Ítalo Moriconi. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.

RAVEN, Peter H.; EVERT, Ray F.; EICHHORN, Susan E. Biologia Vegetal. 5. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan S.A, 1996.

ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Gilles Deleuze. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2004.

Downloads

Publicado

2022-03-12

Como Citar

Achilles, D. (2022). A construção social da memória científica : reflexões e atravessamentos. Revista Fontes Documentais, 4(Ed. especial), 9–21. Recuperado de https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/fontesdocumentais/article/view/1307

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)