Sociologia histórica do livro, da edição e da leitura

pistas para uma proposta panorâmica

Autores

  • Nuno Medeiros Universidade Nova de Lisboa - IHC/NOVA FCSH)

Palavras-chave:

Sociologia histórica, leitura, cultura impressa, livro

Resumo

Este artigo explora o livro, a edição e a leitura como focos de explicação que convocam várias ciências sociais e humanas. Pretende-se essencialmente estabelecer um panorama breve – e inevitavelmente parcelar – como baliza de compreensão de um campo de pesquisa teórica e empírica em construção, campo aqui designado de sociologia histórica do livro, da edição e da leitura. O livro (enquanto objeto físico e simbólico), a edição que o configura e a leitura que dele se apropria constituem eixos indispensáveis à compreensão da cultura escrita e, no interior desta, da cultura impressa, bem como das instituições e dos agentes que se formaram durante o desenvolvimento e as múltiplas transformações que o livro, a edição e a leitura sofreram, de que são exemplo as bibliotecas e os bibliotecárias.

Biografia do Autor

Nuno Medeiros, Universidade Nova de Lisboa - IHC/NOVA FCSH)

Doutor em Sociologia da Cultura. Mestre em Sociologia Histórica pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Licenciado em Sociologia. Professor de Sociologia na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa (ESTeSL-IPL) e pesquisador na Universidade Nova de Lisboa (IHC – NOVA FCSH). 

Referências

BECKER, Howard. Mundos da arte. Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

BURKE, Peter. Cultura popular na idade moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BUSCHMAN, John E. Dismantling the public sphere: situating and sustaining librarianship in the age of the new public philosophy. Westport, Conn./London: Libraries Unlimited, 2003.

CAREY, James. The paradox of the book. Library Trends, Baltimore, v.33, n.2, p.103-113, Fall. 1984. Disponível em: https://www.ideals.illinois.edu/bitstream/handle/2142/7361/librarytrendsv33i2c_opt.pdf. Acesso em: 8 out. 2021.

CARPENTER, Kenneth; AUGST, Thomas. ‘The history of libraries in the United States’: a conference report. Libraries & Culture, Austin, v.38, n.1, p.61-66. 2003. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/25549068. Acesso em: 8 out. 2021.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1988.

CHARTIER, Roger; LÜSEBRINK, Hans-Jürgen (Dirs.). Colportage et lecture populaire: imprimés de large circulation en Europe, XVIe-XIXe siècles. Paris: Éditions de l’Institut Mémoires de l’Édition Contemporaine/Éditions de la Maison des Sciences de l’Homme, 1996.

CHARVAT, William. The profession of authorship in America, 1800-1870. BRUCCOLI, Mathew (Ed.). Columbus: Ohio State University Press, 1968.

CURTO, Diogo Ramada. História política da cultura escrita. Estudos e notas críticas. Lisboa: Verbo/Babel, 2015.

DARNTON, Robert. What is the history of books? Daedalus, Cambridge, Mass., v.111, n.3, p.65-83, Summer. 1982. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/20024803. Acesso em: 8 out. 2021.

DAVIS, Natalie Zemon. Culturas do povo. Sociedade e cultura no início da França moderna. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

EVANS, Gwen; SCHONFELD, Roger. It’s not what libraries hold; it’s who libraries serve: seeking a user-centered future for academic libraries. Ithaka S+R. January. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.18665/sr.312608. Acesso em: 8 out. 2021.

FURTADO, José Afonso. O mito da biblioteca universal. Cadernos BAD, Lisboa, n.2, p.37-55. 2007. Disponível em: https://publicacoes.bad.pt/revistas/index.php/cadernos/article/view/771/769. Acesso em: 8 out. 2021.

GORMAN, Michael. Our enduring values: librarianship in the 21st century. Chicago/London: American Library Association, 2000.

HALL, David. Cultures of print: essays in the history of the book. Amherst, Mass.: University of Massachusetts Press, 1996.

HOGGART, Richard. The uses of literacy: aspects of working-class life with special reference to publications and entertainments. London: Chatto & Windus, 1957.

MCGANN, Jerome. The socialization of texts. In: FINKELSTEIN, David; MCCLEERY, Alistair (Eds.). The book history reader. London/New York: Routledge, 2002, p.39-46.

MEDEIROS, Nuno. D’O Recreio à Livraria Romano Torres: edição para o grande consumo no Portugal contemporâneo. 2018. 602f. Tese (Doutorado) – Doutoramento em Sociologia da Cultura, Conhecimento e Educação, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2018. Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/43954. Acesso em: 8 out. 2021.

PÉREZ PULIDO, Margarita; VIVARELLI, Maurizio (Eds.). The identity of the contemporary public library: principles and methods of analysis, evaluation, interpretation. Milano: Ledizioni, 2016.

SEQUEIROS, Paula. The social weaving of a reading atmosphere. Journal of Librarianship and Information Science, v.43, n.4, p.261-270. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0961000611425823. Acesso em: 8 out. 2021.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

USHERWOOD, Bob. A biblioteca pública como conhecimento público. Lisboa: Caminho, 1999.

WILLIAMS, Raymond. The long revolution. New York: Columbia University Press/London: Chatto & Windus, 1961.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Cultura e sociedade: de Coleridge a Orwell. Petrópolis: Vozes, 2011

Downloads

Publicado

2022-03-12

Como Citar

Medeiros, N. . (2022). Sociologia histórica do livro, da edição e da leitura: pistas para uma proposta panorâmica. Revista Fontes Documentais, 4(Ed. especial), 177–186. Recuperado de https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/fontesdocumentais/article/view/1327