CONSTRUÇÃO DE MAPA CONCEITUAL E IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA DA ARGUMENTAÇÃO

  • Ariane Baffa Lourenço
  • Adriele Ribeiro dos Santos
  • Gabrieli Ester Araújo Gomes
  • Salete Linhares Queiroz

Resumo

A argumentação é uma forma de discurso desejável no contexto de ensino de ciências e vem sendo alvo de pesquisas direcionadas para diferentes vieses, como o estudo da qualidade e complexidade dos argumentos dos estudantes, o papel do professor na condução da prática argumentativa, revisão bibliográfica sobre a argumentação, desenvolvimento e análise de materiais didáticos e estratégias promotoras da argumentação. É para esse último foco de estudo que direcionamos nosso trabalho, com o objetivo de tecer considerações sobre as seguintes questões: Qual a potencialidade do uso de mapas conceituais em ambientes colaborativos para a promoção da prática argumentativa? Qual o nível de produção argumentativa a partir de um processo de mapeamento conceitual colaborativo? Para tanto, lançamos mão de gravações em áudio da discussão de licenciandos em Física ao desenvolverem, em grupo, mapas conceituais. Com base no Modelo de Toulmin e no Quadro Analítico para Discussões Argumentativas Colaborativas, investigamos o discurso dos licenciandos. Os resultados mostraram a efetividade da técnica de mapeamento conceitual na promoção de um ambiente argumentativo em uma atividade colaborativa. Tal ambiente é favorecido por aspectos intrínsecos e extrínsecos quanto à atividade de mapeamento. Com relação ao primeiro aspecto, temos o direcionamento da construção do mapa a partir de uma pergunta focal, a necessidade da presença de proposições no mapa e de envolver a diferenciação progressiva e a reconciliação integrativa. Quanto aos aspectos extrínsecos, destaca-se a conformação da atividade, a qual envolveu licenciandos em pequenos grupos, o que facilitou a interação entre eles.
Publicado
2019-12-27